Blog

14/09/2018
Associação Brasileira da Piscicultura lança campanha de incetivo ao consumo de peixes

De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), o consumo de peixes recomendado é de 12 Kg por pessoa anualmente. No Brasil, os habitantes consumem cerca de 9,5 Kg ao ano, ou seja, ficam abaixo do estimado. O presidente executivo da Associação Brasileira de Piscicultura, Francisco Medeiros, afirma que é preciso impulsionar o consumo em nosso país, pois a carne de peixe é um alimento saudável e extremamente rico.

Ele também destaca a importância de valorizarmos os peixes de cultivo, como a tilápia, o pacu, a tambatinga e todas as demais espécies que fazem parte da nossa fauna. Estas espécies demonstram o enorme potencial da produção de peixes no Brasil. Francisco ainda diz que hoje, do consumo total por habitante (9,5 Kg), apenas cerca de 3 Kg são de origem brasileira, e o restante é resultado da importação de peixes estrangeiros, como panga e salmão. 

Pensando e melhorar estes números, a Associação Brasileira de Piscicultura juntamente com seus mais de 100 associados, lançaram uma campanha à nível nacional para contribuir com o aumento no consumo. A campana se estende até o final de setembro e faz parte da ação “Semana do Peixe”.

De acordo com Francisco, o ramo da piscicultura ainda está em formação, mas já tem certa representatividade. Mais de 1 milhão de empregos diretos foram gerados no país, atingindo todos os estados brasileiros. No ano passado, foram mais de 690 mil toneladas produzidas, sendo a tilápia a espécie mais produzida, com cerca de 357 mil toneladas. Esses números representam uma taxa de crescimento aproximada de 10% ao ano na última década. 

O foco da campanha será o consumidor final. Para isso, ações serão realizadas a fim de sensibilizar e encorajar os diversos agentes que fazem parte da cadeia produtiva, entre eles, produtores, varejistas, indústrias, e restaurantes. Influenciadores também serão envolvidos nessa iniciativa, com o objetivo de levar informações de qualidade à população que já consome peixes e também às pessoas interessadas em uma alimentação mais saudável.


Fonte: JM Online

Voltar