Blog

17/08/2018
Urupá (RO) destaca-se como criador de peixes em cativeiro

Urupá, município que está localizado no oeste de Rondônia, vem ganhando destaque por ser um dos maiores produtores de peixes em cativeiro, e também por possuir uma das principais bacias leiteira dentro do Estado.                                                          

O nome Urupá, surgiu como uma homenagem à um rio, de mesmo nome. De acordo com historiadores, a origem do nome é indígena, e vem de uma junção das línguas das tribos que habitavam a região no passado. Uru-Upaba quer dizer Lagoa do Uru.                                                                                                                                                   

O município surgiu após o desmembramento das terras de outras duas cidades: Alvorada do Oeste e Ouro Preto do Oeste. O Incra (o Instituto de Colonização e Reforma Agrária) criou o assentamento PA-Urupá em 1981, que se transformou em Urupá anos depois. Atualmente a população da cidade chega aos 13 mil habitantes.                 

Ele afirma que a ideia surgiu em um momento onde a propriedade estava passando por uma crise financeira, e que resolveu inovar trabalhando com peixes, já que a atividade de piscicultura não era popular na região durante essa época.  Depois de produzido, o peixe era vendido para outras cidades de Rondônia, e durante a Quaresma, eram vendidas cerca de 8 toneladas. A produção contava com espécies como: tambaqui, pirarucu, piauacú, jundiá, jatuaran e curimbatá.                                                 

Durante muitos anos, a economia de Urupá esteve ligada a criação de gado, que até hoje continua sendo uma atividade muito forte, porém com o passar do tempo, o município resolveu investir no setor da piscicultura, se tornando atualmente o segundo maior criador de peixes de água doce de Rondônia. No ano de 2013, apenas uma despesca resultou em 140 toneladas de peixes, que foram produzidos nos 52 tanques da propriedade do Sr. Jamilse.                                                                                     

Outras famílias da região, também iniciaram com a piscicultura em suas propriedades. Municípios como Porto Velho, Cujubim, Ariquemes e Mirante da Serra são os maiores produtores de pescados em água doce do Estado. Em 2016, estima-se que mais de 87 mil toneladas foram produzidas, o que conferiu à Rondônia a liderança no ranking brasileiro.

Célio Lang, prefeito da cidade, diz que é um local muito bom para se viver. De acordo com ele, a piscicultura começo com alguns produtores, que após alcançarem bons resultados, acabaram incentivando outros produtores à investirem na atividade. Para fortalecer ainda mais o negócio, uma cooperativa foi montada pelos piscicultores e atualmente conta com 300 associados. 


Fonte: Diário da Amazônia

Fonte Imagem: Diário da Amazônia / Edison Falcão

Voltar